EDP reforça no solar com compra da AES Inova no Brasil por cerca de 145 milhões de euros

EDP reforça no solar com compra da AES Inova no Brasil por cerca de 145 milhões de euros

Categoria Advisor, Empresas

A EDP Brasil comprou a empresa AES Inova, no Brasil, por um total de 177 milhões de reais (145,1 milhões de euros), reforçando a sua atividade na área solar. Esta aquisição “acrescenta 34 MWp [megawatt-pico] ao portfólio de geração solar distribuída da empresa e duplica dimensão da sua carteira de projetos”, adiantou o grupo, em comunicado, ao qual a Lusa teve acesso.

De acordo com a EDP, a compra da AES Inova, “plataforma de investimento em geração distribuída da AES Brasil” irá implicar um “investimento total estimado é de 177 milhões de reais, considerando o valor de aquisição de 101,7 milhões de reais [83,3 milhões de euros] e o Capex [investimento] para o desenvolvimento dos projetos”.

Com esta operação, a EDP “amplia em 50% a dimensão da sua carteira de projetos e dá mais um passo significativo na sua estratégia de crescimento no segmento de energia solar”, garante a elétrica.

De acordo com a EDP, este negócio “adiciona quase 34 MWp ao portfólio da EDP Smart por meio de ativos localizados no Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais”, sendo que deste total, “aproximadamente 16 MWp referem-se a empreendimentos contratados e em operação comercial”.

Os restantes 18 MWp são de projetos ‘ready to build’ em Minas Gerais, “que permitirão à EDP o desenvolvimento da obra, a contratação num mercado estratégico e o aproveitamento de sinergias operacionais com outros ativos na região”, lê-se no site da Lusa.

Citado na mesma nota, o presidente executivo da EDP no Brasil, João Marques da Cruz, disse que esta operação é “mais um passo firme da EDP rumo ao seu objetivo de liderar a transição energética no país, apostando fortemente na geração solar distribuída e centralizada”.

O grupo encerrou 2020 “com 65,3 MWp de energia solar no seu portfólio — 34,5 MWp em projetos já entregues a clientes como Banco do Brasil, TIM, Claro, Johnson & Johnson, entre outros, e 30,8 MWp em projetos já contratados em desenvolvimento e construção”, referiu a empresa, garantindo que em dezembro passado, “assinou um acordo de investimento na Blue Sol, com o objetivo de adquirir participação de até 40% na empresa e aumentar sua capilaridade no segmento de energia solar B2C [business to consumer – negócio diretamente para o consumidor]”.