Emissões previstas do projeto da Mina do Barroso vão ser compensadas pela contribuição do lítio

Emissões previstas do projeto da Mina do Barroso vão ser compensadas pela contribuição do lítio

Categoria Advisor, Empresas

A pegada ambiental é uma das preocupações fundamentais de qualquer projeto empresarial e a Mina do Barroso (MdB) não é exceção. De acordo com a Savannah Resources, os estudos já feitos e que constam do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) prevêem que, ao longo dos 14 anos de vida do projeto (dois de construção e 12 de operação), as emissões previstas serão largamente compensadas pela contribuição do lítio da MdB para a redução de emissões do setor de transportes, uma vez que este é transformado em baterias de ião-lítio.

Num comunicado, a empresa partilha alguns dos dados sobre este projeto:

  • A MdB emitirá cerca de 1,2 milhões de toneladas de CO2, durante a sua vida, em contraste com a redução de cerca de 100 milhões de toneladas. Para referência, Portugal produziu cerca de 60 milhões de toneladas de emissões de gases com efeito de estufa em 2019;
  • Os cálculos efetuados mostram que as emissões anuais de gases com efeito de estufa resultam da fase de construção e de funcionamento devido à utilização de equipamento móvel no local, consumo de eletricidade e associado transporte rodoviário de matéria-prima;
  • O lítio extraído ajudará a evitar cerca de 100 milhões de toneladas de CO2 do setor dos transportes da União Europeia, com base, entre outros, na quantidade de lítio que a MdB irá produzir ao longo da sua vida e da vida útil das baterias de iões de lítio em veículos elétricos;

“O facto é que o concentrado de espodumena da Mina do Barroso terá uma pegada de carbono muito baixa: desde logo porque vamos alimentar o projeto com energia renovável proveniente das abundantes energias renováveis disponíveis no Norte de Portugal e depois porque a Savannah procurará introduzir uma frota de veículos não movidos a diesel, tanto nas suas operações como para o transporte rodoviário do produto”, afirma David Archer, CEO da Savannah Resources.

A empresa vai investir 110 milhões de euros no projeto da MdB. Através deste projeto, a empresa vai criar cerca de 200 posto de trabalho diretos e 600 indiretos. E prevê investir seis milhões de euros em projetos que vão beneficiar a comunidade local.