GoParity abre 2.ª fase de financiamento para a produção sustentável de ostras

GoParity abre 2.ª fase de financiamento para a produção sustentável de ostras

Categoria Advisor, Empresas

O sucesso da primeira fase de investimento do projeto OysterWorld, convida agora ao investimento na segunda fase que arranca esta quinta-feira, dia 18 de julho. Um investimento sustentável no valor 150.000€ que será aplicado numa nova linha de produção de ostras, conta com uma TANB de 5,20% e uma maturidade de 2 anos. Uma aposta segura para os mais de 2600 investidores Go Parity, tendo já atribuídos através do Mar2020 1,07 milhões de euros a fundo perdido.

Recorde-se que o projeto OysterWorld é um projeto de produção sustentável de ostras, contará com um investimento global de 2,1 milhões de euros, sendo um milhão financiado através da GoPartity num total de 8 campanhas, das quais uma está já encerrada.  Este projeto vai permitir aumentar a sua capacidade produtiva para 360 toneladas/ano, através do investimento num inovador equipamento, que permitirá uma maior sustentabilidade num setor tipicamente tradicional. A Oysterworld é uma produtora e comercializadora de bivalves, posicionando-se como uma das mais inovadoras no setor em Portugal, exportando maioritariamente para países Espanha, França, Holanda.

Este projeto está a ser desenvolvido em parceria com Consultora em Projetos de Investimento Becorporate, que assegurou o Diagnóstico, Estudo de Viabilidade e Candidatura ao MAR2020. Segundo Dário Gonçalves, CEO da Becorporate: O projeto da Oysterworld traduz-se num dos mais inovadores projetos ao nível da produção de ostras em Portugal. A implementação deste projeto só é possível através dos fundos estruturais do MAR2020, que apoiam o desenvolvimento de projetos competitivos, inovadores e sustentáveis nos domínios da aquicultura, e da parceria com a GoParity que permitiu alargar o investimento a toda a nossa comunidade de clientes e investidores assegurando o financiamento deste projeto.

A GoParity é uma plataforma de financiamento colaborativo (crowdlending) que se propõe a fazer a ponte entre empresas ou instituições promotoras de projetos de impacto social ou ambiental e investidores que procurem uma boa rendibilidade para o seu dinheiro e simultaneamente contribuir para financiar projetos que façam a diferença perante a comunidade que nos envolve e o planeta que nos recebe. Em 2 anos financiou 24 projetos, num valor acumulado superior a 1,25 milhões de euros.