Living Streets: Faro e Óbidos recebem 20 mil euros para desenvolverem os projetos de cariz sustentável

Living Streets: Faro e Óbidos recebem 20 mil euros para desenvolverem os projetos de cariz sustentável

A Oeste Sustentável (Agência Regional de Energia e Ambiente do Oeste) anunciou na passada sexta-feira, dia 13 de novembro, que o município de Faro e o município de Óbidos, foram distinguidos como as duas candidaturas vencedoras do projeto Living Streets em Portugal, tendo obtido um financiamento de 20 mil euros cada uma, para desenvolverem os seus projetos, entre dezembro de 2020 e outubro de 2021.

A Oeste Sustentável, recorda em comunicado, que abriu no dia 31 de julho, até ao dia 9 de outubro de 2020, as candidaturas para o projeto Living Streets, tendo recebido no total treze candidaturas de: Bombarral, Caldas da Rainha, Cascais, Faro, Junta de Freguesia da Ajuda (Lisboa), Leiria, Óbidos, Peniche, Ponta Delgada, Torres Vedras, Valongo e duas candidaturas de Setúbal.

Na primeira fase, as candidaturas foram avaliadas pelos membros do júri convidado, constituído por três entidades: José Coutinho, Coordenador do Grupo de Ação Local da Associação de Desenvolvimento Rural LEADEROeste, Sara Duarte da Direção de Desenvolvimento e Comunicação, da empresa Águas do Tejo Atlântico e Hélder Careto, Diretor da ATTCEI – Associação de Transferência de Tecnologia e Conhecimento para Empresas e Instituições. Das treze candidaturas avaliadas, a candidatura de Faro obteve a pontuação mais elevada com 58 pontos, seguindo-se Óbidos e Torres Vedras com 55 pontos. Numa segunda fase, as candidaturas foram analisadas por parte dos parceiros do projeto Living Streets, designadamente Energy Cities (coordenadora do projeto) Sustainable City (Grécia) e Terra Hub (Croácia). Tendo a candidatura de Óbidos sido votada por unanimidade, como a segunda candidatura a ser financiada, a seguir a Faro. Segundo a Oeste Sustentável, a candidatura de Torres Vedras ficará em processo de repescagem, para um possível financiamento pelo programa EUKI (European Climate Initiative), desenvolvido pelo Ministério Federal do Ambiente, Conservação da Natureza e Segurança Nuclear da Alemanha, que financia o projeto Living Streets.

A primeira Living Street de Faro será implementada na Rua Caldas Xavier, onde existe um espaço público inteiramente utilizado para estacionamento. O objetivo, segundo a Oeste Sustentável, é “retirar os carros deste local e devolvê-lo aos cidadãos e aos moradores que ali habitam, promovendo a sua requalificação, criando um espaço verde e um espaço de convívio ideal para conviver, comer, jogar, estudar, trabalhar, ler, andar de bicicleta e respirar ar puro”. A Óbidos Living Streets será numa das zonas mais nobres da Vila, mesmo à entrada da muralha, envolvendo a Ruas da Porta da Vila e a Rua do Cemitério, onde serão realizadas “imensas atividades desportivas, musicais, culturais e ambientais fomentando o envolvimento dos cidadãos”, lê-se no comunicado.