Metro de Lisboa avança com sistema de iluminação com energia fotovoltaica nos acessos de quatro estações

Metro de Lisboa avança com sistema de iluminação com energia fotovoltaica nos acessos de quatro estações

Categoria Advisor, Empresas

O Metropolitano de Lisboa (ML) procedeu à instalação do primeiro módulo fotovoltaico para iluminação autónoma do pilar de sinalização de estação existente no exterior da estação Laranjeiras, na entrada de metro localizada na Estrada da Luz, anuncia a rede de metros.

O módulo fotovoltaico para iluminação autónoma do pilar da sinalização existente no exterior da estação Laranjeiras já instalado é o primeiro de quatro, estando, igualmente, prevista, logo que reunidas as condições técnicas, a instalação de novos equipamentos nas estações de Telheiras, Campo Grande e Baixa Chiado, lê-se no comunicado do ML.

De acordo com a empresa, este sistema será progressivamente instalado em todas as entradas das estações, atuais e futuras, cujos acessos se encontrem distantes das mesmas e sempre que a passagem de um cabo de alimentação vindo da estação seja difícil e mais dispendiosa do que a solução agora utilizada de um sistema autónomo de alimentação com recurso às energias renováveis, através de um módulo fotovoltaico.

Com esta instalação, o Metropolitano de Lisboa prevê alcançar uma poupança anual de energia de cerca de 102KW.

O módulo é constituído por um grupo de baterias que, durante o dia, são carregadas através dos painéis fotovoltaicos e que durante a noite alimentam a lâmpada que ilumina o símbolo “M”. O sistema é controlado de forma a conseguir definir, entre outras, os períodos em que a lâmpada no interior do símbolo se liga e se desliga.

As estações do ML são atualmente identificadas pela presença de um pilar com a marca “M” no topo, na entrada dos acessos às estações. Este símbolo é iluminado durante a noite, através do sistema de energia da estação.

Esta nova solução vai permitir que o Metropolitano de Lisboa contribua, cada vez mais ativamente, para a descarbonização e para a redução das emissões de CO2.

Esta ação está enquadrada no compromisso assumido pelo Metropolitano de Lisboa de combate às alterações climáticas, fornecendo soluções sustentáveis de mobilidade urbana, reduzindo progressivamente os gases de efeito estufa potenciando a compensação de emissões zero.