Mulheres portuguesas estão ligeiramente mais sensíveis ao tema da sustentabilidade do que os homens

Mulheres portuguesas estão ligeiramente mais sensíveis ao tema da sustentabilidade do que os homens

Categoria Advisor, Investigação

Em Portugal, o grupo etário dos 55 aos 64 anos é o que mais limita os seus gastos devido a preocupação com questões de sustentabilidade. Esta é uma das conclusões do “European Consumer Payment Report – ECPR”, estudo realizado pela Intrum.

De acordo com o ECPR 2020, em Portugal, “65% dos inquiridos afirma que o seu crescente interesse pela sustentabilidade é um motivo para limitar os seus gastos. Valor este substancialmente superior à média europeia que é de 47%”.

Analisando os vários grupos etários, conclui-se que, cada vez mais, a sustentabilidade é um motivo pelo qual os consumidores estão a limitar as suas despesas. Tanto a faixa etária dos 18 aos 21 anos, como dos 22 aos 37 anos, registaram um “aumento significativo em comparação com o período homólogo, passando de 46% para 60% e de 54% para 64% respetivamente”. Ainda assim, apesar de se verificar uma maior consciencialização em todas as faixas etárias analisadas, “o grupo etário dos 55 aos 64 anos é quem mais limita os seus gastos em consequência das questões de sustentabilidade, com uma subida de 59% para 72% em 2020”.

Já as mulheres portuguesas (66%) estão ligeiramente mais sensíveis a este tema do que os homens (64%), revela o estudo.

De acordo com Luís Salvaterra, diretor-geral da Intrum Portugal, “as alterações climáticas, compras sustentáveis e comportamentos ecológicos são temas que preocupam os consumidores mais do que nunca. É possível afirmar que a Covid-19 tenha acelerado o interesse dos consumidores por este tipo de questões de cariz ecológico”.

O impacto social da crise está a dar aos consumidores uma pausa para reflexão. Em Portugal, “44% dos inquiridos afirma também que as redes sociais continuam a desempenhar um papel importante na sensibilização dos consumidores relativamente a gastos mais sustentáveis”. Já na Europa, “a média situa-se nos 35%”, refere.

O ECPR foi feito no âmbito do Dia Mundial do Ambiente que se celebrou no passado dia 5 de junho (sábado).