“Quartel Electrão” recolhe duas mil toneladas de equipamentos eléctricos usados

“Quartel Electrão” recolhe duas mil toneladas de equipamentos eléctricos usados

Nos primeiros 10 meses do ano, as associações humanitárias de bombeiros voluntários que aderiram à campanha “Quartel Electrão” recolheram a mesma quantidade de equipamentos elétricos usados que tinha sido reunida no ano passado: duas mil toneladas.

Em dez meses, as associações humanitárias de bombeiros voluntários que aderiram à campanha “Quartel Electrão” conseguiram recolher a mesma quantidade de equipamentos elétricos usados que tinha sido reunida no ano passado: duas mil toneladas.

De acordo com o Electrão (Associação de Gestão de Resíduos), entidade promotora da iniciativa, em 2020, em plena pandemia, os bombeiros portugueses atingiram um “máximo histórico de recolha de pilhas e de equipamentos elétricos”, chegando às 2.029 toneladas, o valor mais alto registado nas últimas cinco edições.

“A avaliar pelos números de que dispomos até agora estamos prestes a alcançar um novo recorde”, antecipa o diretor-geral do Electrão, Pedro Nazareth.

Esta campanha arrancou em janeiro e prolonga-se até ao próximo dia 30 de novembro. Até lá a população pode deixar nos quartéis aderentes todo o tipo de lâmpadas, pilhas e equipamentos eléctricos fora de uso.

Segundo a Electrão, a iniciativa tem suscitado o apoio de várias empresas e instituições, como juntas de freguesias e câmaras, que apelam à entrega de electrodomésticos e outros equipamentos eléctricos em fim de vida como forma de ajudar os soldados da paz da freguesia ou concelho. Em muitos casos as autarquias colocam à disposição os estaleiros municipais, para armazenamento dos resíduos, e chegam mesmo a disponibilizar-se para recolher os velhos equipamentos a pedido.

Também as empresas privadas estão a mobilizar-se, um pouco por todo o país, para a entrega de resíduos de equipamentos elétricos usados a pedido dos bombeiros, que assumem assim um papel activo na sensibilização da comunidade para a reciclagem, incluindo o tecido empresarial. Outras empresas contactam o Electrão diretamente para a recolha desses resíduos, mas solicitam que essa contabilização seja associada à corporação da sua área.

“Este ano já foram encaminhadas quase 164 toneladas por estas vias, o que é revelador da importância que cada vez mais o tecido empresarial dá à dimensão social e ambiental”, refere Pedro Nazareth.

A iniciativa do Electrão tem como objectivo envolver as associações humanitárias para a causa da reciclagem de equipamentos eléctricos usados, garantindo ao mesmo tempo vários prémios às associações.

O prémio a atribuir à associação que reunir a maior quantidade de equipamentos é um veículo de combate a incêndios no valor de 54 mil euros. Todos os quartéis recebem 75 euros por cada tonelada de resíduos reunida. São ainda atribuídos prémios por regiões e aos novos aderentes. Os vencedores destas categorias recebem 750 euros em cartões pré-pagos de combustíveis.

A lista das 165 associações humanitárias aderentes à sexta edição do Quartel Electrão, onde podem ser deixados equipamentos eléctricos usados, pode ser consultada aqui.