Ruído no Porto medido ao segundo

Ruído no Porto medido ao segundo

Está a ser implementado no Porto um sistema de monitorização do ruído em tempo real, segundo noticia hoje o Jornal de Notícias. São cerca de 20 os aparelhos de medição de som colocados em locais estratégicos da cidade que se destinam a registar toda a informação, e no futuro, a colocá-la ao dispor de qualquer pessoa. Os objetivos vão desde a planificação urbanística por parte da Autarquia, à melhoria da saúde e qualidade de vida dos cidadãos.

O projeto é inédito em Portugal, no que se refere à quantidade dos dispositivos utilizados, à velocidade, à quantidade de dados captados, que incluem poluição do ar, vento, temperatura, luminosidade, humidade e o grau de pluviosidade (chuva) e por não estar ligado ao trânsito. E importante: as unidades de captação de informação são consideradas de “baixo-custo”, garante ao DN Cecília Rocha, professora auxiliar da Faculdade de Engenharia do Porto e responsável pelo programa, designado Urban Sense.

“A ideia é captar o ruído e também a poluição do ar ao nível da perceção das pessoas. A informação

é captada pelas unidades de sensorização e descarregada segundo a segundo. Posteriormente, tem de ser trabalhada, ao nível da investigação. Está em fase de implementação. Alguns dos dispositivos vão ser reposicionados em outras zonas”, explicou a investigadora.

O projeto está a ser concretizado numa parceria entre o Centro de Competências para as Cidades do Futuro da Universidade do Porto, da Faculdade de Engenharia, e a Associação Digital. A instalação das unidades de monitorização de ruído e poluição foi feita com o apoio da Câmara do Porto – uma das entidades que, no futuro, mais poderá tirar partido do progresso que a investigação originar.