Seca meteorológica terminou em dezembro em Portugal continental

Seca meteorológica terminou em dezembro em Portugal continental

Nenhuma região de Portugal continental estava, no final de dezembro, em situação de seca meteorológica, o que já não se verificava desde novembro de 2018, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com a Lusa, os dados do último boletim climatológico do IPMA indicam que “terminou a situação de seca fraca que no final de novembro abrangia a região do Minho e Douro Litoral”. No final de dezembro, 50,4% do território estava em situação de chuva fraca, 49,1% normal e 0,5% em chuva moderada.

Segundo o relatório anterior, no final de novembro, 62,3% do território estava em situação de chuva fraca, 33,6% em normal e 4,1% em seca fraca.

O instituto classifica em nove classes o índice meteorológico de seca, que varia entre “chuva extrema” e “seca extrema”. De acordo com o IPMA, existem quatro tipos de seca: meteorológica, agrícola, hidrológica e socioeconómica. A seca meteorológica está diretamente ligada ao défice de precipitação, quando ocorre precipitação abaixo do que é normal.

Além do índice de seca, o boletim climatológico indica que o mês de dezembro em Portugal continental classificou-se como frio em relação à temperatura do ar e normal quanto à precipitação.

O valor médio da temperatura média do ar (9,75 graus Celsius) foi inferior ao normal com uma anomalia de -0,21 graus. Segundo o IPMA, o valor médio da temperatura mínima do ar (5,85 graus Celsius) foi 0,20 graus inferior ao valor normal e o valor médio da máxima (13,66 graus) também foi inferior ao normal, com anomalia de -0.23 graus. O menor valor da temperatura mínima foi registado no dia 27 em Carrazeda de Ansiães, Bragança (-5,2 graus) e o maior valor em Aljezur, em Faro, no dia 01 (23,6 graus).

O mês de dezembro foi marcado por alguma variabilidade nos valores de temperatura sendo de destacar o período de 24 a 31 no qual os valores de temperatura mínima foram muito inferiores ao normal, com o dia 27 a registar um valor médio no continente inferior a 0 graus Celsius

O IPMA destaca também os valores médios da temperatura média do ar que foram superiores ao normal nos períodos de 10 a 14 e 21 a 23, sendo de realçar os valores da mínima nos dias 10 a 13, com desvios em relação à normal mensal superiores a 5,0 graus.

No que diz respeito à precipitação, o valor médio da quantidade em dezembro, 123,8 milímetros (mm), corresponde a 86 % do valor normal 1971-2000. “Durante o mês é de salientar o período de 09 a 20 de dezembro com a ocorrência de valores elevados de precipitação acumulada em 24 horas em quase todo o território, mas em especial na região noroeste (valores diários > 90,0 mm)”, segundo o boletim.

No final do mês de dezembro, verificou-se um aumento generalizado no território dos valores de percentagem de água no solo com grande parte das regiões Norte e Centro com valores muito próximos ou mesmo iguais à capacidade de campo. Os menores valores de percentagem de água no solo (< 60%) verificaram-se na região do Baixo Alentejo.