Sintra aprova concurso público para construção de Ecocentro num investimento de mais de um milhão de euros

Sintra aprova concurso público para construção de Ecocentro num investimento de mais de um milhão de euros

Categoria Advisor, Empresas

O Município de Sintra aprovou a abertura do concurso público para a construção do Ecocentro de Dona Maria (Almargem do Bispo), num investimento de 1 milhão e 400 mil euros, com um prazo de execução de 480 dias, anunciam os SMAS de Sintra.

O Ecocentro de Dona Maria será o segundo equipamento do género no concelho, após o de Vale Flores (União de Freguesias de Sintra), cuja construção vai arrancar no primeiro semestre de 2021 e representará um investimento de 1 milhão e 800 mil euros. A rede municipal de ecocentros será alargada ainda a Janas (União de Freguesias de Sintra) e Massamá, lê-se no comunicado dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra.

Constituindo um centro de receção de resíduos, o ecocentro é dotado de equipamentos de grande capacidade para a recolha seletiva de materiais passíveis de valorização, como papel, embalagens de plástico, vidro e metal, aparas de jardim e objetos volumosos fora de uso, entre outros. O ecocentro é, assim, um equipamento que tem, como princípio orientador, o “aumento da recolha seletiva multimaterial”, através da “deposição ordenada dos resíduos valorizáveis num único local, com uma aposta ainda na área da educação e sensibilização ambiental”, referem os SMAS de Sintra. Para além de combater a deposição ilegal de resíduos e incentivar a recolha seletiva, o ecocentro inclui uma “zona de compostagem comunitária e uma horta biológica”, precisa o comunicado.

O Ecocentro de Dona Maria vai servir cerca de 50 mil pessoas, nomeadamente da União de Freguesias de Almargem do Bispo, Pêro Pinheiro e Montelavar, Freguesia de Casal de Cambra e parte da União de Freguesias de Queluz e Belas.

Este equipamento vai ser construído junto ao Reservatório de Dona Maria, num terreno com uma área de implantação de 3.643 metros quadrados, que confronta com a Rua do Saibreiro. Além da área de contentores de deposição de resíduos, com uma capacidade máxima de 30 m3, o ecocentro inclui dois edifícios, a portaria e um armazém, este para acomodar os resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos. A área envolvente será alvo de tratamento paisagístico, mantendo algumas árvores e privilegiando a plantação de espécies de reduzida manutenção.