SMAS de Sintra querem investir mais de 12 milhões de euros nas redes de saneamento

SMAS de Sintra querem investir mais de 12 milhões de euros nas redes de saneamento

No Dia Mundial do Saneamento, que se comemora esta sexta-feira (19 de novembro), os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Sintra reiteram o compromisso de prosseguir a expansão e remodelação do sistema de drenagem e tratamento de águas residuais domésticas no concelho. Nos próximos anos, os SMAS de Sintra contam investir mais de 12 milhões de euros no sentido de expandir, reabilitar e remodelar as redes de saneamento, pode ler-se num nota.

Com uma rede de coletores e emissários de 1.036 km, o sistema é constituído por 17 estações de tratamento de águas residuais, a mais recente das quais em Godigana (Terrugem), e 26 estações elevatórias, com a rede a sul do concelho a drenar para o Sistema das Águas do Tejo Atlântico.

Num concelho com 385 mil habitantes, distribuídos por uma área de 320 km2, os SMAS de Sintra continuam a investir para aumentar a taxa de cobertura da população servida por drenagem de águas residuais, que atualmente se cifra em 95 por cento. Os restantes 5% são recolhidos através da prestação do serviço de limpeza de fossas sépticas, sendo os respetivos efluentes encaminhados para tratamento nas 17 ETAR, refere a entidade.

“Os SMAS de Sintra continuam a investir para aumentar a taxa de cobertura ao nível do saneamento, com intervenções em curso no âmbito do subsistema de Areias e Alvarinhos (2 milhões de euros), Silva, Faião, Cabrela e Casais de Cabrela (1 milhão e 600 mil euros) e Palmeiros e Alto das Falimas (1 milhão de euros)”, salienta o diretor delegado dos SMAS de Sintra, Carlos Vieira, destacando “a intervenção recentemente concluída do subsistema de Barreira, São Miguel e Funchal, um investimento na ordem de 1 milhão e 100 mil euros”.

De acordo com o responsável, “nos últimos cinco anos, os SMAS de Sintra investiram 13 milhões de euros em obras de saneamento, como a execução da rede de Godigana e Carne Assada (Terrugem), a construção do emissário de Aruil e da rede em Camarões (Almargem do Bispo) e a remodelação da rede junto à Quinta da Regaleira (Sintra), e têm em agenda, a curto e médio-prazo, um investimento superior a 12 milhões de euros em projetos de construção das ETAR de Cabrela, Alvarinhos, Camarões e Sacário e a remodelação e ampliação da infraestrutura da Azóia”.