Sotecnisol Energia lança iniciativa Competir XXI

Sotecnisol Energia lança iniciativa Competir XXI

Categoria Águas, Ambiente, Energia

A Sotecnisol, empresa portuguesa que opera nos setores da Engenharia, Construção, Água & Ambiente e Energia, lançou a Iniciativa Competir XXI que enquadra o apoio de candidaturas a projetos que promovam a eficiência energética e a utilização de fontes de energia renováveis, em termos nacionais.

Através desta iniciativa, a Sotecnisol Energia apoia projetos nas áreas da indústria, agricultura, retalho, edifícios de serviços e setor público, que contribuam para uma redução eficiente, sustentável e otimizada do consumo final de energia em termos energéticos, financeiros e operacionais.

No âmbito da atribuição do apoio, é realizada uma criteriosa avaliação técnica, financeira e de risco dos projetos candidatos, com o objetivo de financiar parcial ou integralmente a execução dos investimentos, quer por via de incentivos estatais aplicáveis quer por via de veículos de investimento dedicados, nomeadamente o financiamento por terceiros, com dotação orçamental máxima atribuída à totalidade das operações enquadradas de quatro milhões de euros. Para isso, a empresa faz previamente à contratualização de cada projeto, uma análise detalhada da viabilidade técnica e financeira do mesmo, assim como uma análise de risco da empresa candidata.

Até agora e no total já foram recebidos cerca de 300 contactos de empresas interessadas em aderir, tendo-se elaborado acima de uma centena de projetos de utilização de energia renovável, dos quais 60 em instalações industriais, 20 em edifícios de comércio a retalho e 15 instalações agropecuárias.

De acordo com Filipe Bello Morais, diretor da empresa, “a Sotecnisol Energia tem como um dos seus principais objetivos incentivar a eficiência energética e a utilização de fontes de energia renovável por parte dos cidadãos e das empresas, especificamente apoiando projetos de eficiência energética e promovendo a adoção de tecnologias ‘amigas do ambiente’ que permitam uma maior independência nacional e sustentabilidade ambiental relativamente à utilização de energia”.