Distribuição da DPD é feita com frota verde na cidade Lisboa

Distribuição da DPD é feita com frota verde na cidade Lisboa

Categoria Advisor, Empresas

A partir desta quarta-feira, 15 de setembro, inicia-se a distribuição na cidade de Lisboa apenas com veículos verdes pela DPD.

Numa nota partilhada pela empresa, pode ler-se que, a partir de agora, circulam na cidade de Lisboa 55 veículos 100% elétricos eSprinter da Mercedes-Benz Vans para fazer as entregas de encomendas da DPD. Este projeto representa uma redução de 87% das atuais emissões de CO2 e 84% de NOx e evitando perto de 330 toneladas de gases poluentes por ano, precisa a mesma nota.

Para Olivier Establet, CEO da DPD, “estamos certos de que hoje marcamos uma etapa extremamente importante na estratégia verde do DPDgroup, estando uma vez mais patente o pioneirismo que temos tido no nosso País em matérias de desenvolvimento sustentável. Após ter instalado e oferecido, em 2019, aos lisboetas um sistema de medição da qualidade do ar consultável no momento da recepção da sua encomenda, bem como em 2020 duas City trees que contribuíram para a limpeza do ar ambiente, a descarbonização total das nossas entregas na cidade de Lisboa é um passo gigante que concretiza no terreno a nossa ambição de ser o líder das entregas sustentáveis. Mas não vamos ficar por aqui, e estamos a preparar igualmente a descarbonização da cidade do Porto, entre outras medidas de redução do impacto ambiental nas entregas de encomendas que oportunamente daremos conta”.

Também, Francisco Ferreira, presidente da Associação ZERO, acredita que “a DPD ao garantir uma frota totalmente elétrica em Lisboa ainda este ano estabelece um marco importante no esforço de redução da poluição do ar e para a descarbonização que outras empresas e entidades devem seguir”. Para o responsável, “as cidades de maior dimensão como Lisboa e Porto apresentam sérios problemas de cumprimento dos valores-limite de determinados poluentes, principalmente, de dióxido de azoto resultante do tráfego rodoviário associado a veículos de combustão interna. Há uma perda da esperança de vida ainda significativa, além de causar ou agravar doenças respiratórias, e ainda afetar o ambiente. Numa cidade, as empresas com frotas associadas, nomeadamente, na distribuição, dado o elevado número de quilómetros percorridos, têm um significado ainda maior nas medidas que tomem ao passarem a utilizar veículos sem emissões”. Por isso, “a transição para a mobilidade elétrica é uma enorme valia pela redução da poluição do ar, das emissões de gases com efeito de estufa que causam as alterações climáticas, para além da redução significativa do ruído”, sucinta.

Tal como explica a nota, o abastecimento da viaturas é possibilitado pela disponibilização de bases de carregamento da Repsol nas instalações da DPD em Lisboa.

Para Armando Oliveira, administrador-delegado da Repsol Portuguesa, “a cooperação entre a Repsol, a DPD Portugal e a Mercedes-Benz Vans Portugal assume um significado e uma simbologia acrescidas. Hoje, celebramos um momento importante e demonstramos como as sinergias intra e intersetoriais, permitirão superar os desafios mais prementes do planeta”.

Já Mário Neves, Managing director da Mercedes-Benz Vans Portugal, salienta que “a disponibilização destas viaturas do modelo eSprinter movido 100% a energia elétrica, reflete a estratégia global da Mercedes-Benz na sustentabilidade do meio ambiente sem emissões locais, com especial foco nas cidades”.

Para assinalar a Semana da Mobilidade, a solução apresentada pela DPD, Mercedes-Benz Vans e Repsol para a descarbonização das entregas na cidade de Lisboa está presente entre os dias 16 e 19 de setembro, na Praça do Rossio.