Electrão é membro fundador do Pacto Português para os Plásticos e traça metas até 2025

Electrão é membro fundador do Pacto Português para os Plásticos e traça metas até 2025

Categoria Ambiente, Resíduos

O Electrão, Associação de Gestão de Resíduos, é membro fundador do Pacto Português para os Plásticos, iniciativa que funciona como plataforma colaborativa e de inovação, unida por uma visão comum: “de uma economia circular para os plásticos em Portugal, onde estes nunca se converterão em resíduos”. Este compromisso comum junta o Governo, os diferentes agentes da cadeia de valor dos plásticos, a Academia e ONG’s, num total de 50 organizações. Coordenado pela Associação Smart Waste Portugal, com o apoio do Ministério do Ambiente e da Ação Climática, Ministério da Economia e Transição Digital, e Ministério do Mar, é parte da Rede dos Pactos para os Plásticos da Fundação Ellen MacArthur.

Pedro Nazareth, responsável pela associação Electrão, afirma em comunicado que com esta iniciativa “está dado mais um passo para que Portugal seja uma referência internacional no setor ambiental e a participação do Electrão é mais uma prova de que o trabalho desenvolvido é essencial para que as metas impostas sejam atingidas”.

O Electrão é a única entidade em Portugal, na área da responsabilidade alargada do produtor, a assumir a gestão de 3 fluxos de resíduos: equipamentos elétricos, pilhas e embalagens.

Todos os envolvidos neste projeto comprometem-se a desenvolver ações com vista a atingir um conjunto de metas e objetivos ambiciosos para 2025, sendo eles:

  • Definir, até 2020, uma listagem de plásticos de uso único considerados problemáticos ou desnecessários e definir medidas para a sua eliminação;
  • Garantir que 100% das embalagens de plástico são reutilizáveis, recicláveis ou compostáveis;
  • Garantir que 70%, ou mais, das embalagens plásticas são efetivamente recicladas, através do aumento da recolha e da reciclagem;
  • Incorporar, em média, 30% de plástico reciclado nas novas embalagens de plástico;
  • Promover atividades de sensibilização e educação aos consumidores (atuais e futuros) para a utilização circular dos plásticos.

O Pacto Português para os Plásticos assume-se como uma iniciativa colaborativa que pretende liderar pelo exemplo e servir de inspiração no movimento de transição dos plásticos para uma economia circular.

Foto: Electrão