PEV questiona CML sobre utilização de sopradores de folhas nos espaços públicos

PEV questiona CML sobre utilização de sopradores de folhas nos espaços públicos

O Partido Ecologista Os Verdes (PEV) entregou, na Assembleia Municipal, um requerimento em que questiona a Câmara Municipal de Lisboa (CML) sobre utilização de sopradores de folhas a gasolina ou eléctricos nos espaços públicos da cidade, revela o comunicado enviado por este Grupo Municipal.

De acordo com este partido, a “utilização de sopradores de folhas na cidade de Lisboa tem gerado algumas reclamações” devido à “poluição atmosférica e sonora”, pelo facto destes equipamentos “emitirem ruído excessivo, gases provenientes da queima de combustíveis” e pela “suspensão de poeira devido à força do ar expelido”. Além disso, estes aparelhos são usados para soprar folhas que se encontram no chão e formar montes que serão depois recolhidos, cujo “ruído, além de intenso, é também contínuo”, refere o requerimento.

Segundo o PEV, a utilização destes aparelhos cria “nuvens de pó que acabam por poder ser prejudiciais à saúde pública”, uma vez que lançam para o ar várias substâncias, como “alergenos e pesticidas”, cujos efeitos sobre o sistema respiratório se tornam mais “intensos em tempo seco, nomeadamente dos cidadãos sensíveis a desenvolver reacções alérgicas”.

Face ao cenário, “importa considerar a utilização de outras soluções mais ecológicas, silenciosas e eficazes para a limpeza das ruas”, que tenham em conta o “bem-estar e a saúde da população”, principalmente sendo “Lisboa a Capital Verde Europeia 2020”, alerta o partido.

No mesmo requerimento, o PEV questiona assim a CML:

  1. A CML ou as empresas por si contratadas utilizam sopradores de folhas a gasolina ou eléctricos?
  2. Em caso afirmativo, em que situações são utilizados?
  3. Existem regras ou boas-práticas na utilização desses equipamentos, nomeadamente no que diz respeito a locais, horários e distância de segurança relativamente a pessoas e animais?
  4. Caso a CML e as empresas por si contratadas utilizem os sopradores de folhas, tencionam substituí-los por outras alternativas mais amigas do ambiente?