Signify será uma empresa plastic-free em toda a Europa até ao final do ano

Signify será uma empresa plastic-free em toda a Europa até ao final do ano

A Signify, fabricante da Philips Hue, promoveu na manhã desta quinta-feira um encontro virtual com o objetivo de anunciar os novos objetivos da empresa para a área de sustentabilidade.

Nicola Kimm

Todos os anos, “oito milhões de toneladas de plástico vão para os oceanos”, começa por dizer Nicola Kimm, diretora da área de sustentabilidade da empresa, alertando para a morte de “um milhão de aves marítimas” e “milhões de espécies de vida marinha que estão ameaçadas”. Não restam dúvidas de que a “poluição dos plásticos” é um dos “problemas ambientais mais prementes” que o mundo atual enfrenta, afirma a responsável, destacando que os “consumidores estão cada vez mais preocupados com as embalagens dos bens que compram”, pedindo às empresas que “façam embalagens mais sustentáveis”. Além disso, “em alguns países, passou a ser um tópico de tendência nas redes sociais”, acrescenta.

Na Signify, a sustentabilidade está no centro da estratégia da empresa: “Graças a este compromisso, temos reduzido o impacto ambiental dos nossos produtos”, diz a responsável, referindo que nas embalagens “80% é de papel reciclado”, sendo este um “requerimento da nossa política de embalagem”. E é precisamente neste compromisso que Nicola Kimm anuncia o próximo passo da  Signify ser uma empresa plastic-free em todos as embalagens de produtos de iluminação de consumo em 2021. No entanto, em Portugal e no resto da Europa, esta meta será atingida já no final deste ano. Sendo a Signify uma “empresa líder na economia circular”, Nicola Kimm sublinha que este compromisso é o “mais acertado” até porque vai “aumentar as expetativas dos clientes” no futuro.

“Folhas de espuma para embalar” em substituição do plástico

Robbert Slooten

Robbert Slooten, diretor e chefe de projetos da área da sustentabilidade, refere que o compromisso de empresa plastic-free vai permitir à Signify “evitar o uso de mais de 2 500 toneladas de plástico por ano”, o que equivale a “125 milhões de garrafas PET” que, se “colocadas em linha, se estenderiam o equivalente à distância de ida e volta entre Lisboa e Kiev”, na Ucrânia. De acordo com o responsável, “as novas embalagens sem plástico são mais pequenas”, permitindo “reduzir as emissões de CO2 resultante de transporte e de utilização de materiais em 6 mil toneladas, o equivalente à quantidade de CO2 que 270 mil árvores adultas podem absorver num ano”.

Em média, a política de embalagens da Signify já exige que todas as embalagens contenham mais de “80% de papel reciclado e materiais virgens” de fontes renováveis certificadas. E nos casos em que os materiais derivados de papel não são aplicáveis, Robber Slooten refere que a empresa procura “outras alternativas sem plástico”, tendo já “removido as peças de plásticos das embalagens habitualmente utilizadas nas lâmpadas Philips Hue”. Além disso, a empresa já selecionou “folhas de espuma para embalar” a recentemente lançada “Philips Hue Play HDMI Sync Box” que chega ao “mercado português durante o mês de junho”, refere o responsável. Também, a “substituição de blisters por embalagens de papel” será implementada em todo o portefólio de produtos da empresa nas diferentes regiões do mundo, “começando pelas lâmpadas de LED na Europa, no terceiro trimestre de 2020”, e no “resto do mundo a partir do início de 2021”. Essa mudança, que já foi feita na região do Pacífico, teve um impacto “muito positivo”, resultando no “aumento nas vendas”, remata.