UE mais perto de ter métodos de testes sólidos às emissões de CO2 nos carros

UE mais perto de ter métodos de testes sólidos às emissões de CO2 nos carros

Ontem, dia 14 de junho, o comité regulador técnico que reúne representantes dos Estados Membros (Comité Técnico – Veículos a Motor) votou a favor da proposta da Comissão Europeia no sentido de introduzir um novo procedimento de teste mais realista para avaliar as emissões de CO2 e o consumo de combustível em carros e carrinhas.

Segundo Elżbieta Bieńkowska, Comissária para a Indústria, Mercado Interno, Empreendedorismo e PMEs, “a Comissão continua a responder às revelações de emissões de carros com medidas concretas. Recentemente introduzimos testes em condições reais de condução para reduzir a distância entre emissões de NOx medidas num laboratório – o atual parâmetro legal – e as reais emissões em estrada. Hoje estamos também a encurtar a distânica entre as emissões de CO2 e de consumo de combustível. São boas notícias para o consumidor e para o ambiente”.

Para Miguel Arias Cañete, Comissário para a Ação Climática, “este é um passo crucial para restaurar a credibilidade. Com base nesta nova metodologia de testes, a Comissão irá propor novos padrões ambiciosos de CO2 para o setor automóvel para o período após 2020”.

O atual procedimento de teste em laboratório para medir as emissões de CO2 e consumo de combustível nos carros já não reflete as condições de condução ou tecnologias automóveis. É por isso que, refere a Comissão Europeia, em comunicado, está agora a propor a adoção do Procedimento Global Harmonizado de Testes de Veículos Ligeiros (WLTP), um procedimento globalmente harmonizado desenvolvido dentro da Comissão Económica das Nações Unidas para a Europa (UNECE) com o apoio da Comissão Europeia.

O esboço do ato de execução será enviado para o Parlamento e Conselho Europeus em breve para poderem exercer o seu direito ou escrutínio regulador. Se for aprovado, o novo teste WLTP será obrigatório para todos os novos tipos de veículos a partir de setembro de 2017 e para todos os novos veículos a partir de setembro de 2018.