Universidade de Évora quer registar mais instalações fotovoltaicas através da aplicação Generation Solar

Universidade de Évora quer registar mais instalações fotovoltaicas através da aplicação Generation Solar

Categoria Advisor, Investigação

A aplicação de registo de instalações fotovoltaicas Generation Solar, promovida em Portugal pela Cátedra Energias Renováveis da Universidade de Évora (CER-UÉ), continua a aceitar e incentivar novos registos destas instalações, para aumentar a comunidade de investigadores e proprietários na área da energia solar, refere um comunicado enviado à imprensa.

Lançada em 2020, no âmbito do projeto de ciência aberta e cidadã GRECO (Fostering a New Generation of European Photovoltaic Society through Open Science), a aplicação Generation Solar está disponível nas plataformas IOS e Android e convida os cidadãos a registarem todas as instalações solares que conhecerem, criando uma rede de instalações e de proprietários.

Com esta iniciativa, o projeto GRECO pretende promover a consciência sobre a energia fotovoltaica na sociedade e estimular o aparecimento de uma comunidade em que “os utilizadores e proprietários destas instalações poderão trocar informações e ver respondidas algumas das suas dúvidas sobre o funcionamento destes equipamentos, além de poderem aceder a informação estatística exclusiva para utilizadores registados”, afirma Luís Fialho, investigador da CER-UÉ e responsável pelo projeto em Portugal. A informação registada permitirá também “criar um banco de dados global sobre geração de energia solar, que ajudará cientistas e investigadores e desenvolver melhores modelos científicos de eficiência energética”, precisa o comunicado divulgado pela Universidade de Évora.

No website do Generation Solar estão registadas cerca de “130 instalações fotovoltaicas”, em diversos países da Europa, como Espanha, Alemanha ou Bulgária, mas é a “comunidade portuguesa que se destaca ao nível da participação”, segundo o comunicado. Valores que surpreendem os investigadores europeus, mas que Luís Fialho acredita poderem ser ainda mais elevados: “Não temos uma ideia exata do número de instalações existentes no nosso país, mas acreditamos que ainda será possível vermos crescer o número de participantes em diversas zonas do território nacional”.

O GRECO é um projeto multinacional, apoiado pelo programa Horizonte 2020, da Comissão Europeia, que conta com a participação da CER-UÉ, e que tem como principal objetivo promover a aplicação da Ciência Aberta e Investigação e Inovação Responsável (RRI, sigla em inglês) a um projeto de investigação no setor fotovoltaico.