WILDY Fest leva o melhor da cidade até à floresta no Dia da Criança

WILDY Fest leva o melhor da cidade até à floresta no Dia da Criança

Categoria Advisor, Agenda

Preparem-se as baquetas e as palhetas, combinem-se apetites e ingredientes, ressoem as primeiras gargalhadas — o WILDY Fest está a caminho do Parque da Serafina, em Monsanto, e traz consigo os amigos mais especiais e as atividades mais divertidas. O programa da festa está completo e promete pôr pais e filhos a abanar o capacete, entre as 10h00 e as 19h00. Da música à alimentação, dos escorregas ao arborismo, não faltará o que ver e fazer para celebrar uma das datas mais especiais do ano: o Dia da Criança, a 1 de junho.

Os mais habilidosos vão poder participar em animadas aulas de música, com a ajuda de diversos instrumentos africanos, brasileiros e portugueses, e aprender diferentes sons e ritmos, na Floresta dos Ritmos by Tronkar. Para os pequenos e grandes oleiros está planeado um divertido atelier de olaria, a Clareira da Mãe Terra, que lhes permitirá colocar as mãos na massa, moldar o barro e criar pequenas peças que poderão levar para casa como recordação.

Nos Workshops Reciclagem Criativa e Natureza em Casa, adultos de hoje e de amanhã vão ser desafiados a estimular a sua criatividade e construir alguns objetos através da utilização de materiais recicláveis e elementos da floresta, explorando a temática da preocupação ambiental de uma forma original. Para que consigam preparar juntos iguarias com ingredientes naturais e saudáveis, e deliciarem-se com receitas práticas e surpreendentes, pais e filhos vão ser convidados a marcar presença num laboratório repleto de sabor, o Workshop de Alimentação Saudável do WILDY Fest. Já no Lugar dos Espíritos, vão aprender a respeitar e ajustar o funcionamento do nosso principal motor, o coração, de forma a conseguirem gerir melhor as suas emoções, agora e no futuro.

No dia dedicado a todas as crianças, as diversões não se ficam por aqui. Paralelamente às oficinas, vão decorrer danças, pinturas tribais, jogos tradicionais, teatros imersivos, shows de piratas, e claro, a atuação da banda Wildy e o Selvagens, que promete roubar sorrisos e muitas salva de palmas.

O Wildy, além de um festival, é também uma criança selvagem. Vive na floresta, fala com os animais, é cool, moderno e radical. O seu fato de esquilo vermelho, que lhe foi oferecido pelo avô, antigo guarda florestal, possui poderes mágicos e permite-lhe afastar a tristeza e ver o mundo na sua forma mais bonita. Com o fato, o Wildy vê uma Humanidade consciente, comprometida com as consequências dos seus atos e conectada com a natureza e com a sua preservação. E é exatamente isto que o Wildy procura trazer da sua imaginação e plantar nos seus visitantes, com a ajuda dos seus amigos Selvagens, com quem partilha as suas aventuras e forma uma banda.

A Macaquedas é um autêntico animal de palco e adora tocar os seus instrumentos favoritos, os pratos e outros de percussão. O Le Gartô, o chef doméstico — o único amigo do Wildy criado em casa por humanos — é responsável pelos instrumentos de cordas, como a viola e o banjo. A Tia Grass, com um enorme coração e um forte instinto maternal, toca instrumentos de sopro. O Bunifaz é o inventor de serviço e encanta tudo e todos com os sons do xilofone e das teclas. Por fim, o Ursulino, o gigante dócil, tem como o djambé o seu fiel companheiro musical.

No WILDY Fest, um mundo mágico onde toda a família é livre de viver os valores da floresta e da fantasia, há ainda espaço para um hino muito especial, disponível na página de Youtube do festival cantado pela atriz e cantora Irma Dali. “Aceitei dar a voz ao hino do Wildy porque acredito na liberdade de cada um e na individualidade. Acredito que as crianças podem salvar o Mundo”, explica.