Embalagem icónica dos “Smarties”, da Nestlé, já é em papel reciclável

Embalagem icónica dos “Smarties”, da Nestlé, já é em papel reciclável

A marca de chocolates “Smarties“, da Nestlé, passa a utilizar embalagens de papel reciclável em todos os seus produtos e em todo o mundo. Esta novidade foi anunciada, esta terça-feira, à imprensa e representa uma “transição para papel em 90% das embalagens” da gama “Smarties”, uma vez que “10% delas já eram embaladas em papel reciclável”.

Alexander von Maillot, diretor-geral da Confeitaria da Nestlé, explica que o grande objetivo do grupo era ser um exemplo, enquanto marca sustentável, surgindo a ideia de tornar a gama “Smarties” a primeira marca de pastelaria sem plástico: “Pareceu-nos super convincente e lógico”. Contudo, o responsável reconhece que foi um “enorme desafio” levar a cabo tal ambição: “Tivemos de mudar 90% do nosso portfólio”. Ainda assim, o objetivo final foi bem conseguido e notável: “Ajudou-nos a reduzir mais de 400 toneladas métricas de plástico, incluindo 38 milhões para tampas gigantes, autocolantes e outros tipos de plástico”.

Alexander von Maillot

De acordo com Alexander von Maillot, a escolha da gama “Smarties” para dar este primeiro passo, teve que ver com o facto da mesma estar “comprometida” em “ajudar os pais a inspirar os seus filhos” na fantasia: “Inúmeras crianças aprenderam a contar ou os nomes das cores através, dos desenhos de animais e casas nos Smarties”. Além disso, para cumprir as metas ambientais da Nestlé, o responsável destaca a importância de “ajudar, educar e encorajar comportamentos corretos”.

Em 2025, 100% das embalagens serão recicláveis ou reutilizáveis

A nova embalagem em papel de Smarties é de origem renovável e é feita de papel revestido, tem etiquetas em papel e também utiliza cartão. Nos rótulos destas novas embalagens de Smarties estão também incluídas informações sobre como as descartar, colocando-as no ecoponto azul, após utilização, sendo esta também uma forma de aumentar a consciencialização do consumidor para as questões de um correto encaminhamento das embalagens no seu fim de vida.

Por seu turno, Rob Cameron, chefe de relações Públicas da Nestlé, recorre ao slogan da Nestlé – “Good food, good life” – para sublinhar a importância de que “nenhuma das embalagens” da Nestlé acabe em aterro ou no lixo: “Assumimos vários compromissos e o principal é que, em 2025, 100% das nossas embalagens serão recicláveis ou reutilizáveis”.  Um outro compromisso que a marca assumiu foi reduzir o uso de plástico virgem em um terço até 2025: “Parece simples mas há um enorme desafio para nós neste aspeto que é disponibilidade de plástico reciclado de qualidade alimentar que podemos utilizar como matéria-prima para as nossas embalagens”. De forma a aproximarem-se do cumprimento de tal objetivo, a Nestlé comprometeu-se com um “investimento total de até dois mil milhões de francos suíços”, dos quais “1,5 mil milhões” foram destinados ao “pagamento de prémios”, para estimular o mercado: “Até 2019, reduzimos, de facto, os volumes de embalagens em 142.000 toneladas métricas. Por isso, estão a ser feitos bons progressos”.

Rob Cameron

De acordo com o responsável, há cinco áreas de ação que foram identificadas e nas quais a marca está realmente focada. A primeira centra-se na redução dos volumes de embalagem: “Não se trata apenas de um caso de alternativas, como cortar as embalagens e, em particular, a utilização de plásticos virgens, mas, também, precisamos de olhar para modelos de reutilização e de recarga”. Depois, está a área dos materiais alternativos, ou seja, dar uso aos materiais de embalagem alternativos: “Mesmo onde estamos a utilizar plásticos, tentamos encontrar formas alternativas de garantir que a reciclagem pode acontecer de forma segura e fácil”, refere. A última área foca-se na “eliminação do plástico em favor do papel”, tal como acontece agora com os “Smarties”: “Não é, de longe, o único exemplo, até porque toda a gama de embalagens Nesquick, foi convertida em papel”, destaca.

Rob Cameron reconhece que a reciclagem só pode ocorrer quando a “infraestrutura” está instalada, sendo que a Nestlé está empenhada em ajudar todos os consumidores nesse sentido: “Ouvimos histórias em todo o mundo de consumidores que querem reciclar mas têm dificuldade em fazê-lo. Apoiamos fortemente os esquemas de responsabilidade alargada do produtor, particularmente os esquemas de devolução de depósitos de alimentos”.

Também Louise Barrett, diretora da Nestlé Confectionery Product Technology Center, de York, no Reino Unido, quis deixar o seu testemunho: “O desenvolvimento de soluções de embalagens seguras e de conveniência em papel para Smarties exigiu o pioneirismo de novos materiais e a realização de testes por especialistas em embalagens da Nestlé no nosso Centro de R&D para confeitaria, localizado em York, e também no Nestlé Institute of Packaging Sciences, localizado em Lausanne, na Suíça”. Para tal, refere a responsável, “adaptamos as nossas linhas de produção existentes para permitir o manuseamento cuidadoso exigido pela matéria-prima papel, ao mesmo tempo que garantimos a reciclabilidade em todos os novos formatos”.

A Nestlé anunciou um “significativo investimento” para atualizar suas fábricas a nível global, incluindo a sua fábrica de Hamburgo, na Alemanha, uma das maiores fábricas da empresa para produtos de confeitaria. E a transformação da embalagem de Smarties é apenas uma das “Iniciativas SMART” da marca, que visam apoiar a sustentabilidade e melhorar a experiência geral do produto.

Cristiana Macedo