Endesa obteve um lucro líquido de 776 milhões de euros no primeiro semestre

Endesa obteve um lucro líquido de 776 milhões de euros no primeiro semestre

Categoria Advisor, Empresas

Entre janeiro e junho de 2019, a Endesa apresenta resultados “muito positivos”. Segundo o comunicado enviado pela Endesa, estes resultados devem-se “a uma boa gestão do mercado liberalizado”, num cenário muito complicado tanto no “negócio de eletricidade como no de gás”. Estes resultados, que foram apresentados esta terça-feira, em Madrid permitem à empresa “alcançar os objetivos comunicados ao mercado para o ano de 2019”.

A Endesa obteve um lucro líquido de 776 milhões de euros no primeiro semestre, o que representa um crescimento de 3% em relação ao mesmo período do ano passado. O resultado bruto refletido no Ebitda foi de 1.894 milhões de euros, com um aumento de 5%,  o que reflete uma boa evolução do negócio liberalizado, a estabilidade do negócio regulado e o esforço para conter os custos fixos.

De realçar que neste período a Endesa aumentou substancialmente seus investimentos, especialmente para acelerar o desenvolvimento dos 879 MW de energia renovável, obtida nos leilões de 2017 e que deverá estar operacional antes do final deste ano. E que este resultados foram obtidos num cenário de queda significativa na procura de energia elétrica nos primeiros seis meses do ano, devido às altas temperaturas sentidas neste período e num período de desaceleração da economia sobre o consumo das grandes empresas. Além do aumento no preço dos direitos de CO2 e uma menor disponibilidade de geração hidráulica, o que levou a um agravamento de 3,4% nos preços do mercado grossista, que atingiram 51,8 euros / MWh .

Para José Bogas,  CEO da Endesa, “os dois principais motores de nossos investimentos são energia renovável e digitalização. Um papel fundamental também é desempenhado por um sólido portfólio de novos projetos de energia renovável que podem chegar a 9.000 MW. Essa estratégia reforça os excelentes resultados obtidos, diante de um cenário de mercado complexo e desafiador, e nos coloca em uma posição vantajosa para liderar a transição energética na Espanha.”