Resultados históricos marcam 10 anos de atividade da Valorfito

Resultados históricos marcam 10 anos de atividade da Valorfito

Categoria Ambiente, Resíduos

No ano de 2015 o Valorfito registou um resultado histórico, com a retoma de 389,2 toneladas contra 297,4 toneladas do ano anterior, o que representa um crescimento de 30,9%. Relativamente à quantidade de embalagens colocadas no mercado, a previsão é que a Taxa de Retoma possa atingir um valor próximo dos 50% (38% em 2014), uma marca verdadeiramente significativa, até agora nunca alcançada pelo sistema.
De acordo com os dados apresentados, o Valorfito aproveita para congratular todos os que colaboram direta ou indiretamente no processo, muito particularmente os agricultores, que entregaram cerca de 400 toneladas de embalagens vazias e os 363 Pontos de Retoma que, por todo o país, foram responsáveis pela sua recolha, originando 586 Pedidos de Levantamento executados.
Estes excelentes resultados surgem numa altura em que o Valorfito está também de parabéns pelos seus primeiros 10 anos de atividade. E esta importante data vai ser celebrada em todos os eventos que realizarmos em 2016, em especial na Cerimónia dos Prémios 2015, que terá lugar no Centro Cultural de Cascais, no dia 11 de março. O evento, organizado todos os anos, consolida o reconhecimento público do Valorfito aos seus Pontos de Retoma pelo excelente trabalho de colaboração.
Esta década de funcionamento está centrada na dinâmica e inovação, fundamentais ao desenvolvimento sustentado da agricultura. Estão também de parabéns os Agricultores, Pontos de Retoma e Entidades Oficiais que são co-responsáveis pelo sucesso da atividade e pelo comprovado crescimento do Valorfito.
Segundo António Lopes Dias, diretor geral do Valorfito, “em 2016 contam-se 10 anos desde que a Sigeru, Lda. obteve a sua licença, mas a iniciativa começou uns anos antes quando lançámos os primeiros projetos-piloto para a recolha de embalagens vazias de produtos fitofarmacêuticos. Um grupo de pessoas e um punhado de distribuidores começaram a construir o Valorfito, pode dizer-se a partir do nada. Estas embalagens nunca tinham tido recolha e tratamento dedicados. A sua classificação como resíduos perigosos veio agravar ainda mais a situação criando um sério problema, sobretudo aos agricultores. O Valorfito veio trazer a solução, permitindo aos produtores dar o destino correto a estes resíduos, de uma forma fácil, cómoda e, acima de tudo, gratuita. Chegar ao fim de 10 anos com uma eficácia de 50% é um óptimo resultado, mas também nos leva a sentir a responsabilidade, não só na tarefa de recolher os restantes 50%, como de ir mais além no nosso contributo para uma agricultura de sucesso.”

 

Este artigo foi publicado na Ambiente Magazine Nº 71.