SMAS de Sintra investem mais de um milhão de euros em rede de abastecimento de água na Terrugem

SMAS de Sintra investem mais de um milhão de euros em rede de abastecimento de água na Terrugem

Categoria Águas, Ambiente

Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Sintra estão a investir 1 milhão e 600 mil euros na remodelação das redes de abastecimento de água e construção das redes de drenagem de águas residuais domésticas em Silva, Faião, Cabrela e Casais de Cabrela, na União de Freguesias de São João das Lampas Terrugem. A intervenção, com a duração de 900 dias, vai beneficiar cerca de 610 habitantes, informa a entidade em comunicado.

A intervenção em Silva, Faião, Cabrela e Casais de Cabrela insere-se num plano de investimentos dos SMAS de Sintra, que ascende a 22 milhões e 246 mil euros no território da União de Freguesias de São João das Lampas e Terrugem.

Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra e do conselho de administração dos SMAS de Sintra, realça que “o maior investimento dos SMAS é nesta freguesia, porque é aqui que é mais necessário, sendo um território muito vasto (87 KM2). Esta intervenção insere-se na continuidade da estratégia da autarquia de investimento na melhoria dos sistema de abastecimento de água e drengame de águas residuais no concelho”.

De acordo com o mesmo comunicado, a empreitada visa “solucionar os atuais problemas da rede de abastecimento de água e assegurar as necessidades futuras”. A rede de distribuição de água, numa extensão aproximada de cerca de 4 km, será construída em Polietileno de Alta Densidade (PEAD), assegurando, além do “abastecimento de água às populações”, o “serviço de combate a incêndios”, através da instalação de “marcos de incêndio nos principais cruzamentos e bifurcações”, com uma “distância máxima de 200 metros”. Com uma rede de coletores com cerca de 4,5 quilómetros, as águas residuais terão como destino final a futura ETAR de Cabrela, refere os SMAS de Sintra.

Os trabalhos contemplam a reposição dos pavimentos em todos os arruamentos abrangidos pela empreitada.

Segundo a entidade, o início das obras esteve previsto para o final de 2019, mas a empreitada foi suspensa por se desenvolver numa área de elevada sensibilidade arqueológica, o que obriga a um acompanhamento arqueológico e às necessárias autorizações por parte da Direção Geral do Património Cultural.

Esta empreitada insere-se num “projeto mais vasto que incluiu a construção das redes em Godigana e Carne Assada”, um “investimento de 1 milhão e 728 mil euros”. E uma intervenção que beneficiou cerca de 450 habitantes, pode ler-se no mesmo comunicado.

A rede de drenagem é constituída por duas bacias, incluindo a rede de coletores, uma estação elevatória de águas residuais em Casais de Cabrela e a construção das estações de tratamento de águas residuais (ETAR) de Godigana e da Cabrela. A ETAR de Godigana está concluída e representou um investimento de 394.530,79 euros.